Sabor de Leitura é o novo selo  voltado para literatura infantojuvenil. Fazem parte deste selo livros para entretenimento e para leitura extensiva em escolas. 

Contos de enganar o tempo

Contos

Fabiana Corrêa

A vida no reino entrava no ritmo. Até a lua e o sol começaram a marcar o compasso certo de acordar e dormir. O rei ficou encantado com a ordem do tique-taque do gongo. Agora, dava tempo de fazer tudo que ele queria, sem se perder na falta do tempo desmarcado. O povo também gostava do gongo e do homem. No dia cabia tudo: trabalho, descanso, comida, esporte, namoro e festas. No reino, agora, tinha até férias!

Jardim de fora jardim de dentro

Infantil

Catherine Beltrão

– Uma noite, sonhei que os galhos das flores de um quadro me levavam para um lugar mágico, todo iluminado e cheiroso: era uma floresta encantada e cantante!

Não fosse um repolho...

Infantil

Ana Beatriz Manier 

Ilustrações: Leka

[...] e se a avó não tivesse ido fazer compras naquela manhã? E se o sapato não tivesse ficado preso entre as pedras? E se o repolho não tivesse saído rolando? Se o avô não tivesse saltado do bonde àquela hora? Se não tivesse visto aquela moça caindo? Será que eles teriam se conhecido? Teriam se casado? Teriam tido filhos? Netos? Não fosse aquele bendito repolho, talvez ele, Nando, nem tivesse nascido.

O velho tênis novo

Infantil

Elê Nogueira

Nem para tudo há palavras. Apesar de sua plasticidade, algumas situações as dispensam: elas seriam numerosas demais. Dormir nas calçadas, soltar pipas, dançar, sonhar... Dá pra explicar o que é tudo isso? Não, não dá. É melhor desenhar.

Obs: livro contado com desenhos.

Coisas que viram outras

Contos

Ninfa Parreiras 

Ilustrações: Elê Nogueira

O jeito diferente de olhar de fora pra dentro, molhar as páginas e os olhos, virar a folha e secar a água, abrir o riso, se acolher no colo do outro e também dar colo àqueles por quem sentimos uma conexão profunda. É deixar o livro que tá nas mãos para ver o livro que todos somos.

Nestes textos a profundidade faz morada no leitor. Como uma palavra se aninha com tanta rapidez? Qual segredo?

Talvez as memórias que moram na gente, a vontade de algo que poderia ter sido ou o desejo de que fosse de novo, diferente ou quem sabe, igual.

Quem escreve, resiste.

Quem lê, vive.

Astrobeijo

Infantil

Ana Beatriz Manier

Deitadas à noite, em um banco de jardim, observando o céu estrelado, mãe e filha começam a conversar. Falam das estrelas, de crendice popular, das navegações portuguesas, trocam os nomes das coisas e se divertem ao transgredir a convenção linguística. Mas atenção, essa brincadeira é só entre elas. Afinal, palavras são invenções e convenções. Brincar com as palavras, divertir-se com elas para, então, levá-las a sério. Esta é a proposta de Astrobeijo, que abre a discussão sobre as palavras, permitindo que crianças, pais e professores iniciem um diálogo sobre seu uso e origem.

Os sessenta anos de um urso e um palhaço
Infantil

 

Catherine Beltrão

Sabe aquela história entre vó e neta que merece ganhar as páginas de um livro? Catherine Beltrão não hesitou e escreveu "Os sessenta anos de um urso e de um palhaço", em homenagem a sua avó Edith Blin. As ilustrações do livro também fazem parte dessa história, afinal de contas, os quadros pintados por Edith, entre as décadas 1940 e 1960, dão mais vida às páginas do livro.

  • YouTube Social  Icon
  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon